Bolo de chocolate com natas de côco, pepitas de cacau, bagas gogi e mirtilos


Fiz esta receita no dia de natal para levar até casa dos meus pais. Achei que ficou bom de sabor, textura e cremosidade. 

Quem não gosta de um bolinho de chocolate?! Eu adoro.

É um bolo simples e fácil de fazer, que vem provar que com ingredientes que todos temos em casa podemos fazer um bolo delicioso, vegetariano e super saboroso.


Ingredientes:

380 g farinha de espelta (metade branca e metade integral)

350 g de açucar de côco ou mascavado (para adoçar o bolo pode substituir por 300g de tâmaras)

500 ml de água morna

100 g de cacau em pó

2 colheres café de bicarbonato de sódio

2 colheres chá de extracto de baunilha

2 colheres café de flor de sal

180 ml de óleo de côco derretido (o óleo de côco tende a ficar mais rijo durante o Inverno, por isso, para ficar em modo liquido, basta colocar umas colheres numa taça e levar em banho maria num tacho. Em poucos segundos temos o óleo de côco pronto para a confecção de qualquer receita)

2 colheres chá de vinagre de maçã


Preparação:

Pré aquecer o forno a 180º. 

Numa taça, adicionar as farinhas, o açucar de côco, o cacau em pó, o bicarbonato de sódio e a colher de flor de sal. Misture todos os ingredientes com uma vara de arames alguns segundos de forma a ficar com uma massa homogénea. 

A seguir, juntar ao preparado anterior a água morna, o extracto de baunilha, o vinagre de maçã e o óleo de côco, mexendo mais um pouco com a vara de arames até que a mistura fique cremosa, mas não muito.

Untar uma forma com um pouco de óleo de côco, adicionar a massa e levar ao forno durante uns 30 a 35 minutos. 

Retirar o bolo para um recipiente e deixar arrefecer. 


Cobertura:

1 pacote de natas de côco para sobremesas 

4 colheres de sopa de xarope de ácer
2 colheres de café de extracto de baunilha

Preparação:

Deitar as natas de côco numa taça e bater com uma batedeira durante uns minutos até ficar com uma massa cremosa. 

Juntar o xarope de ácer e o extracto de baunilha, mexendo bem durante uns segundos. 

Quando o bolo estiver arrefecido cobrir com a mistura das natas de côco por cima.

Decorei com bagas gogi, mirtilos e tiras de pepitas de cacau crú. 

Bom apetite.

Rolo de Seitan com Lentilhas e Legumes


Fiz este rolo de seitan com lentilhas e legumes na casa dos meus pais quando lá fui passar este Natal. 

Levei todos os ingredientes, e enquanto lá por casa todos se preparavam para a ceia de Natal, eu confeccionava a minha refeição vegetariana muito feliz e contente, com toda a calma e sem pressas. 

Fiquei muito feliz porque na minha família, se no início era estranho esta minha escolha, hoje em dia, já se torna uma coisa banal e normal, pois aceitam que as minhas escolhas sejam diferentes das deles e já não questionam tanto. 

E depois fiquei muito contente porque provaram e gostaram muito do rolo de seitan. Ainda fiz mais umas quantas receitas que vou colocar aqui no blog à medida que me seja possível.

E aqui fica a receita.

Ingredientes:

500 g de Seitan (embalagem da marca Biodharma)
2 chávenas de lentilhas castanhas demolhadas devidamente de véspera
1 alho francês pequeno
1 cenoura 
1 courgete
2 cebolas
2 dentes de alho
2 folhas de louro
2 ou 3 tiras de pimento vermelho 
150g de feijão verde
3 tomates frescos
Batatinhas no forno com azeite, pimentão doce e tomilho
Uma pitada e a gosto de pimentão doce, alho em pó, açafrão, tomilho e cominhos

Preparação:

Pré aquecer o forno a 170º. 

Comecei por fazer um refogado com azeite, a folha de louro e a cebola muito bem cortada finamente num tacho e acrescentei o seitan cortado às fatias mais ou menos 1 centimetro de diâmetro. 

Juntei ao preparado o tomate fresco cortado aos bocados, as especiarias e o tomilho e mexi bem para refogar um pouco até o seitan ficar com uma tonalidade amarelada. 

Retirar do lume o refogado com o tomate para uma taça para ser utilizado mais tarde.

Colocar o seitan num recipiente de ir ao forno e reservar.

Entretanto, deitei a água da demolha das lentilhas fora, passei por água para limpar e refoguei-as com azeite, louro e cebola num tacho até ficarem com uma textura mole mas não em puré. 

Juntei pimentão doce, alho em pó e uma colher de café de cominhos para dar sabor. Adicionei as tiras de pimento vermelho, o alho francês cortado finamente, a courgete aos cubos e a cenoura picada bem fininha. Deixei cozinhar mais um pouco com a tampa. 

De seguida, acrescentei uma chávena de água a ferver para as duas chávenas de lentilhas até cozinhar bem. Apagar o lume e reservar.

Num tacho, adicionei água a ferver com uma pitada de flor de sal e juntei o feijão verde para cozinhar apenas uns minutos. Cortei uns dentes de alho e coloquei por cima do feijão regando com um pouco de azeite caseiro por cima.

No recipiente de ir ao forno, adicionei as tiras de seitan de forma a ficarem juntas em forma de rectângulo, no meio coloquei o preparado das lentilhas com os legumes, por cima coloquei mais umas tiras para ficar em forma de rolo e reguei com o molho do refogado em tomate. 

Levar ao forno durante uns 15 minutos. De vez em quando, abrir o forno e regar com o molho de tomate.

Num prato, colocar uma fatia do rolo de seitan com lentilhas e legumes, juntar um pouco de feijão verde e umas batatinhas feitas no forno em azeite com pimentão doce e tomilho.

Bom apetite.

Pão "sem" queijo de mandioca...uma delícia


Desde pequena que sempre gostei da culinária brasileira, quer sejam doces, sobremesas, bolos, salgados, comida saudável ou até mesmo junk food. 

Tenho alguns familiares espalhados pelo Rio de Janeiro e outros até mesmo pelo Brasil profundo. 

O meu avô materno esteve muitos anos a viver no Rio e trouxe de lá algumas iguarias que fui aprendendo a apreciar e a saborear. 

Consegui obter algumas receitas mas ainda não fiz a substituição para a culinária vegetariana. 

Um dia quem sabe aparece aqui no blog algumas dessas receitas maravilha. 


O pão de queijo foi dos primeiros petiscos que provei brasileiros. Amei a consistência, a textura e o sabor a queijo. No entanto, e tal como sabemos, o queijo de origem animal não é muito amigo da nossa saúde. 

Em conversa com amigos e familiares brasileiros, descobri que podemos substituir os queijos por polvilhos doce e azedo (já aqui expliquei o que são estas farinhas) e dar uma consistência de queijo com ingredientes como a batata, a batata doce, a mandioca ou até mesmo a abóbora. 

Escrevi no blog uma receita de pão "sem" queijo com batata doce que ficou uma delícia, mas esta que fiz com mandioca ficou igualmente saborosa e muito gostosa. 

Espero que gostem tanto como eu.



Ingredientes:

700 g de mandioca descascada e cozida

140 g de polvilho doce 

60 g de polvilho azedo 

40 g de óleo de côco (mas pode ser feito com azeite, óleo de milho ou de sésamo)

2 colheres de café de flor de sal

2 colheres de sopa de água da cozedura da mandioca

1 colher de café de açafrão das índias (também podem usar curcuma e serve para dar uma tonalidade bonita aos pãezinhos)

Podem também usar oregãos, tomilho ou manjericão para dar outros sabores

Preparação:

Colocar a mandioca cortada aos bocados num tacho e deixar cozer até ficar com uma textura macia. Reserve.

Misturar os restantes ingredientes numa taça, os polvilhos, o óleo de côco, o sal, a água, o açafrão, e por último juntar o puré de mandioca amassando com as mãos até ficar tudo uniforme.  

Fazer bolinhas com as maõs e colocar num tabuleiro. 

Levar ao congelador por meia hora.

Retire do frio e em forno pré-aquecido a 180°C deixar cozinhar os pãezinhos por 30 minutos ou até ficarem dourados.

Bom apetite.

Sonhos de abóbora natalinos


Recordo-me de fazer sonhos de abóbora e de cenoura com a minha avó pelo Natal. Tenho muitas recordações felizes desta época e também muitas saudades dos tempos da minha infância, quando iamos as duas para a cozinha e colocavamos "literalmente" a mão na massa. 

Era uma altura muito alegre tanto para mim como para ela, porque apesar de sermos mais mulheres que homens na nossa família, nem todas elas gostam de cozinhar, e quando a minha avó um dia reparou que eu gostava de estar ao pé dela a vê-la cozinhar entre tachos e panelas, começou a passar-me algumas das suas receitas que eu muito carinhosamente fui apontando nos meus cadernos de culinária. 

Esta receita original apesar de levar ovos e leite, eu substitui por sementes de linhaça em água que é um dos substitutos dos ovos, pois na alimentação vegetariana tudo se consegue fazer sem ingredientes de origem animal.

Aqui fica a minha versão vegetariana dos sonhos de abóbora da minha avó.


Ingredientes:

400 g de abóbora hokkaido cozida  

150 g açucar de côco ou mascavado (para adoçar de forma mais saudável podem substituir o açucar por tâmaras, bastando pulverizá-las na bimby ou num processador juntamente com a farinha durante uns segundos)

200 g farinha de espelta branca ou integral

1 colher de sopa de sementes de linhaça moídas na hora em duas colheres de sopa de água morna

1 colher de chá de fermento em pó

1 pitada de flor de sal

raspa de uma laranja grande e doce

8 colheres de xarope de ácer 

4 colheres de côco ralado 


Preparação:

Cortar a abóbora hokkaido aos bocados, retirar as pevides e levar um tacho ao lume para a deixar cozer completamente durante uns 20 minutos.

Escorrer a abóbora com a ajuda de um garfo o mais possível para lhe ser retirada toda a água do cozimento enquanto se vai desfazendo. 

Numa taça, juntar o açucar, a raspa da laranja, a linhaça e o sal mexendo um pouco. Juntar a farinha e continuar a mexer bem para incorporar todos os ingredientes. 

Retirar pequenas porções do preparado com duas colheres de sopa para poder moldar pequenos sonhos. 

Fritar num tacho com o óleo de côco ou óleo de girassol.

Retire os sonhos para uma travessa e vá regando com o xarope de ácer e salpicando por cima com um pouco de côco ralado.

Deve render uns 20 sonhos. 

Bom Natal e Próspero Ano de 2017.

Bolachas de Natal com tâmaras e abóbora


Fiz estas bolachinhas com tâmaras e abóbora, para serem degustadas depois da ceia de natal. Aconselho a acompanhar com um chá de erva príncipe ou lúcia lima para se sentirem mais aconchegados lá por casa. 

Gosto especialmente desta época do ano, não por causa dos presentes, ou de tudo aquilo que envolve o aspecto mais comercial, mas porque posso dar largas à minha imaginação e confeccionar receitas que vão poder ser experimentadas pela família e pelos amigos. 

Claro que a culinária vegetariana ainda é um "bicho de sete cabeças" para algumas pessoas, mas tenho tentado transmitir o contrário neste meu blog e sei que tem sido importante para muitas delas. 

Já me têm escrito para o blog, através da página no facebook, e deixam-me mensagens muito carinhosas, dizendo que fizeram esta ou aquela receita e que gostaram muito, que sentem o apelo para a mudança e que só precisam de um empurrão. Fico muito contente que o meu caminho sirva de exemplo para outros. 

Estas bolachas foram confeccionadas sem açucares refinados, sem lacticínios e sem ingredientes de origem animal. 

Quem diria que se conseguia fazer doces, sobremesas e bolos sem açucar?!

Pois bem, se eu consigo vocês também conseguem. É muito fácil de fazer, rápido e eficaz na sua execução. 



Ingredientes:

250g de farinha espelta branca

180g de tâmaras mazafati  

150 ml abóbora hokaido cozida

85g de azeite 

100ml bebida vegetal de aveia ou côco

1 colher sopa de fermento em pó

Raspa de uma laranja

flor de sal q.b.

xarope de ácer para pincelar as bolachas e dar uma bonita tonalidade


Preparação:

Cortar a abóbora aos cubos e deixar a cozer num tacho em água durante uns 20 minutos ou até estar completamente cozida. Retirar o excesso de água que ficou da cozedura e reservar. 

Na bimby, pulverizar durante um minuto as tâmaras com a farinha e acrescentar a raspa da laranja. Juntar numa taça, a abóbora cozida à temperatura ambiente, o azeite, a bebida de aveia e a pitada de sal. 

Mexer com uma vara de arames durante uns segundos e colocar o fermento. Juntar a massa numa bacia grande e cobrir com uma manta de forma a deixar assentar todos os ingredientes e ser mais fácil moldar com as mãos durante 50 minutos a uma hora.

Pré aquecer o forno a 160º durante uns 10 minutos. Moldar bolachas redondas com as mãos com a ajuda de um pouco de farinha para não agarrar nos dedos. E levar ao forno uns 15 a 20 minutos. Retirar ainda quentes e pincelar por cima com um pouco de xarope de ácer para ficarem com uma tonalidade amarelada e bonita. 

Ficam a parecer caramelizadas. Uma delícia de côr e sabor.

Servir com um chá de Lúcia Lima ou Erva Príncipe ao som de uma boa música, manta nas pernas e na melhor das companhias, família e amigos.

Bom apetite.

Biscoitos natalícios de gengibre e amêndoa com tâmaras e trigo sarraceno



Estamos a chegar ao Natal e eu já ando a pensar nas iguarias culinárias que vou levar para casa dos meus pais. A tarefa é levar uns doces desta época festiva, uns salgados e um ou dois pratos principais.

Vamos ver até lá o que é que me ocorre, mas entretanto, tenho a leve sensação de que nem se vão aperceber que a comida é feita sem nenhum ingrediente de origem animal. 


Fico muito satisfeita quando consigo fazer pratos culinários saudáveis, sem aditivos que não fazem lá muito bem e sem açucares processados, pois como todos sabemos, todos esses componentes químicos um dia mais tarde convertem-se em doenças e mau estar.

Mas para comemorar esta data tão ligada à família e às crianças para hoje fiz estes biscoitos de gengibre com amêndoa que ficaram saborosos e muito apetitosos. As crianças adoram ornamentos na comida, ingredientes com côr e desenhos, moldados com efeitos engraçados.


Como tinha cá por casa uns enfeites de Natal resolvi pôr mãos à obra, já que o meu filhote adora cookies, biscoitos, bolachinhas e ainda por cima com comida assim quem resiste.


Receita:

200 g farinha de trigo sarraceno

10 tâmaras medjool
3 colheres de sopa óleo de côco
70 g farinha de amêndoa moída na hora
1 colher de chá de gengibre em pó
1 colher de chá de canela
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de chá de bicarbonato
sumo de meia laranja das pequenas
moldes com enfeites de Natal

Preparação:
Pré aquecer o forno a 180º. Colocar as amêndoas na bimby e pulverizar na vel 6 dando uns toques no turbo durante 1 minuto até ficar com consistência de farinha, depois juntar a farinha de trigo sarraceno juntamente com as tâmaras e pulverizar durante uns segundos.

Numa taça, colocar este preparado e ir envolvendo bem com as mãos. De seguida, adicionar o óleo, o gengibre, a canela e a laranja e envolver de novo com as mãos até ficar com uma textura macia e moldável.

Juntar por último o fermento e o bicarbonato.

Na bancada da sua cozinha colocar papel vegetal e a massa por cima, dar umas braçadas com o rolo da massa até ficar de bom tamanho e ir dispondo os moldes por cima.

Levar ao forno já pré aquecido durante uns 7 a 10 minutos, dependendo do forno. Retirar os biscoitos para um frasco de vidro depois de arrefecido.

Croquetes de tofu com alho francês, cenoura e couve coração


Quando na receita anterior escrevi que tinha feito douradinhos de tofu para o meu filho, não mencionei que das sobras que tinha no frigorífico, apenas uns legumes que juntei ao resto do tofu, surgiram estes croquetes que ficaram com um sabor mesmo bom.

Costumo dizer que a comida de um dia para o outro ganha um novo sabor, fica melhor, bem mais saborosa e muito mais apurada.

Ingredientes:

250 g de tofu (utilizo da marca Shambala ou Eichristi)
sobras de legumes no frigorífico ( alho francês refogado com cenoura laminada em azeite e cebola com louro)
150 g de couve coração cozida a vapor na bimby 
1 cebola pequena
1 colher de café de cominhos
1 pitada de pimentão doce
alho em pó
azeite q.b
Óleo de côco ou de girassol
2 colheres de sopa de levedura de cerveja
farinha de aveia q.b.
farinha de arroz q.b.
duas colheres de sopa de amido de milho ou maizena para quatro colheres de sopa de água para panar 
pão ralado para panar  

Preparação:

Para fazer a marinada:

Cortar o tofu às fatias com cerca de um centimetro e meio a dois mais ou menos e fazer uma marinada para dentro de um saco de plástico com sumo de meio limão, alho em pó, pimentão doce, azeite, uma folha de louro pequena, uma pitada de flor de sal, 1 dente de alho cortado aos bocados pequenos e um pouco de tamari. 

Deixar durante a noite no frigorífico para poder confeccionar no dia seguinte.

Colocar a couve coração a cozer a vapor na varoma da bimby por uns 5 minutos.

Numa taça, esmigalhar o tofu com as mãos em modo de mexidinho e reservar. Numa frigideira, colocar um fio de azeite, a cebola e a folha de louro a alourar uns segundos, adicionar os temperos a gosto, pimentão doce, alho em pó, os cominhos e mexer bem.

Juntar o tofu ao refogado e ir mexendo, colocar a couve coração cortada aos bocados e adicionar o alho francês e a cenoura apenas para ficar tudo mais homogéneo, sempre mexendo para que os restantes ingredientes fiquem bem incorporados uns nos outros. 

Colocar este preparado numa taça e adicionar um pouco de farinha de aveia e farinha de arroz até se conseguir que a massa se despegue dos dedos. Juntar a levedura de cerveja e mexer muito bem com as mãos mais um pouco. Levar a massa ao frigorífico por uma hora para se poder moldar os croquetes.

Entretanto, num prato colocar 2 colheres de sopa de amido de milho com 4 colheres de sopa de água e reservar. Noutro prato colocar um pouco de pão ralado para panar. Numa frigideira ou wok, juntar óleo de côco, moldar a massa com os dedos em forma de croquete e fritar uns segundos de um lado ao outro. Atenção que a massa dos croquetes já está cozinhada e quando vai ao lume não é necessário ficar muito tempo. Apenas o suficiente. 

Douradinhos de Tofu...muito melhores que os outros :)


Hoje, a pedido do meu filho fiz uns deliciosos douradinhos de tofu, a partir de uma receita que faço frequentemente, mas que por vezes nem dá tempo de vir aqui colocar os ingredientes, bem como escrever como confecciono estas lindas tiras de tofu.

Mas hoje, decidi passar aqui a receita que fica muito saborosa e nutritiva tanto para mães e pais como para os filhos.


Ingredientes:

250 g de Tofu (marca shambala ou Biodharma)
1 folha de louro
sumo de meio limão
1 pitada de flor de sal
pimentão doce q.b.
curcuma q.b.
1 dente de alho
alho em pó
azeite q.b
1 pitada de tamari 
Óleo de côco ou de girassol
duas colheres de sopa de amido de milho ou maizena para quatro colheres de sopa de água para panar 
pão ralado para panar
Acompanhamentos: grão demolhado de véspera com alga kombu e brócolos cozidos ao vapor  


Preparação:

Cortar o tofu às fatias com cerca de um centimetro e meio a dois mais ou menos e fazer uma marinada para dentro de um saco de plástico com sumo de meio limão, alho em pó, pimentão doce, curcuma, azeite, uma folha de louro pequena, uma pitada de flor de sal, 1 dente de alho cortado aos bocados pequenos e um pouco de tamari. 

Deixar durante a noite no frigorífico para poder confeccionar no dia seguinte.

Retirar o tofu marinado do frigorífico e colocar para dentro de um prato com o amido de milho para panar com uma passagem rápida cada tira de tofu, de um lado ao outro e fazer o mesmo noutro prato para o pão ralado. 

Numa frigideira, adicionar o óleo de côco para cozinhar, e de seguida panar os douradinhos primeiro no amido de milho e depois no pão ralado com o lume brando, uns 10 segundos de cada lado. 

Quando terminar, retirar as tiras de tofu para um prato com papel de cozinha e reservar. Pode fazer esta receita no forno a 170º durante uns 10 minutos de cada lado.

Já fiz das duas maneiras e ficam óptimos.

Servir com grão cozido e salteado em azeite e alho junto com brócolos cozidos ao vapor. 

Fica uma óptima refeição para crianças bem como para adultos.

Bom apetite.

Brownies de batata doce com tâmaras e cacau crú


Para comemorar os 500 gostos da página do blog no facebook, decidi fazer estes brownies de batata doce que à muito queria voltar a confeccionar mas ainda não tinha tido inspiração suficiente para modificar uns ingredientes que tinha de uma receita antiga.

Quando me tornei vegetariana, tive que reaprender a comer e a cozinhar ingredientes que para mim na altura eram desconhecidos ( em 2003 a vida não era tão facilitada para vegetarianos e veganos como é hoje em dia), mas com o tempo, o empenho, o gosto pela culinária e a vontade de me alimentar de uma forma mais saudável, fez de mim uma pessoa mais interessada e focada em fazer desta forma de ser e estar um lema de vida.


Quando hoje andava a decidir o que iria cozinhar, lembrei-me destes brownies que aprendi a fazer com uma amiga, que na altura me ensinou quase tudo o que havia para aprender no que diz respeito à cozinha vegetariana. 

Claro que, com os anos vamos aprendendo a degustar novos alimentos, novos sabores, texturas e consistências, mas estes brownies ficaram sempre na minha memória como algo que se faz de forma muito simples e com ingredientes que normalmente temos por casa, na nossa dispensa e frigorífico.


Na altura fazia esta receita com açucar mascavado ou açucar amarelo, mas nas palestras que assisti ou nos workshops que fui tirando, descobri que nem tudo tem de ser feito com açucar refinado, por isso descobri recentemente que posso utillizar figos secos ou tâmaras secas para adoçar sobremesas ou doces vegetarianos. 

Estas que estão na fotografia foram-me gentilmente oferecidas por uns amigos que estiverem recentemente no Dubai a passar umas férias. Chamam-se tâmaras Mazafati e são maravilhosas. Gosto muito das tâmaras medjool que facilmente se encontram em mercados, feiras e supermercados biológicos pelo nosso país fora.

No entanto, as mazafati têm uma consistência mais crocante como se fosse caramelo, e as medjool parecem mais cremosas como os figos secos, mas ambas são muito nutritivas e extremamente saudáveis para o nosso organismo.

E agora que já se vai fazendo tarde vamos ao que interessa :)

Ingredientes:

800 g de batata doce 
120 g farinha de trigo sarraceno moída na hora na bimby
120 g de amêndoa moída na bimby
300 g tâmaras mazafati sem caroço 
8 colheres de sopa de de cacau cru em pó biológico 
8 colheres de sopa xarope de ácer
3 colheres de sopa óleo de côco
1 pitada de flor de sal

Preparação: 

Pré aqueça o forno a 180º. Cortar as batatas doce aos cubos para dentro de um tacho com água e deixar cozer durante uns 20 minutos ou até ficarem em modo desfeito. 

Quando estiverem prontas reserve até ficarem frias. Colocar as batatas na bimby juntamente com as tâmaras e pulverizar na vel 9 uns 2 minutos ou no turbo até ficarem com uma consistência cremosa reduzidas a puré. 

Numa taça, juntar a farinha de trigo sarraceno que foi moída na bimby uns breves minutos com a amêndoa, a flor de sal, o cacau cru, o xarope de ácer e o óleo de côco. Adicionar o creme da batata doce ao preparado anterior e mexer até que todos os ingredientes fiquem bem misturados. 

Forrar um tabuleiro com papel vegetal e untar com farinha e óleo de côco. Adicionar a massa e alisar com uma espátula. Levar ao forno já pré aquecido uns 10 a 15 minutos. 

Deixe arrefecer uns minutos, desenforme com cuidado e polvilhe com farinha de trigo sarraceno, cacau e tâmaras devidamente pulverizados na bimby. 

Bom apetite.

Tarte Natalícia de Marmelos

~
Durante as festas natalícias, gosto muito de fazer doces, sobremesas, pratos culinários que sejam adequadas a esta altura, que se pretende ser a mais familiar do ano.


É que já só faltam umas semanas para o Natal e já ando com vontade de meter as mãos na massa e experimentar novas receitas com texturas e sabores da época. 


Como tinha uns marmelos no frigorífico pensei para comigo, que tal este ano fazer uma receita diferente e incluir estes deliciosos frutos da época numa tarte natalícia?! Depois de algum tempo a pensar saiu esta receita. 

Sem açucares processados, sem lacticínios e totalmente cruelty free.



Receita:

Ingredientes para a massa: 

125g farinha de arroz
125g farinha de espelta integral
100g tâmaras (uns amigos trouxeram-me umas deliciosas do Dubai)
60ml óleo de côco
2 colheres sopa de amido de milho diluídas em 4 colheres de água morna
2 colheres sopa de linhaça moída na hora diluídas em 6 colheres de água morna
Raspa de 1 laranja
10 colheres de sopa de bebida vegetal (utilizei bebida de amêndoa)
100g de amêndoas trituradas na hora
2 colheres de chá de canela em pó 

Preparação:

Pré aquecer o forno. Na bimby pulverizar as farinhas juntamente com as tâmaras durante 1 minuto. Numa taça juntar este preparado com a raspa da laranja, a canela em pó, a bebida vegetal e o óleo de côco. 

Mexer apenas uns segundos para ligar todos os ingredientes. Adicionar a mistura da linhaça e do amido aos poucos. Voltar a mexer com uma vara de arames e no final juntar a amêndoa ralada.

Verter a massa para uma forma untada e polvilhada com óleo e farinha e levar ao forno a cerca de 180ºC uns 35 minutos. 

Quando faltar uns 10 minutos retirar a tarte do forno sem o desligar e dispôr os marmelos cortados por cima da massa juntamente com a calda. Levar de novo ao forno até terminar o tempo de cozedura.

Calda para os marmelos:

Preparação:

30 ml óleo de coco marca NatureFoods
1 pau de canela 
5 marmelos cortados em meias luas sem casca 
2 colheres de sopa de maple syrup ou geleia de milho
sumo de 1 laranja

Colocar os marmelos num tacho com o óleo de côco e salteá-los durante uns breves minutos. Juntar o maple syrup ou a geleia de milho com o pau de canela e envolver bem. 

Adicionar o sumo de laranja e deixar a cozinhar mexendo um pouco para não agarrar até os marmelos ficarem bem tenros. Escorrer o sumo para uma taça e reservar. 

Deixar ficar os marmelos cortados no tacho para depois adicionar à tarte no final.

Bom apetite.

Bolo de Courgete e Côco com Canela


Hoje o meu blog faz 5 meses de existência, e tal como tenho feito desde que iniciei este meu projecto, gosto sempre de fazer uma receita para comemorar esta data tão especial.

No entanto, como fiz aniversário dia 15 de Novembro, acabei por fazer um bolo caseiro à base de courgete e côco com limão e canela.


Gostei tanto da receita que acabei por fazer o mesmo recheado em calda de chocolate com 85% de cacau acompanhado por bebida vegetal de arroz.

Este bolo também pode ser consumido nesta altura da época festiva porque fica muito bonito com o côco ralado por cima do cacau vegetal.




Receita:

200g de courgete ralada
200g farinha de espelta branca
1 chávena côco ralado
150g açucar mascavado
1 colher de chá de bicarbonato de sódio 
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colher de café de vinagre de sidra
1/2 colher chá de sal
1 colher de chá canela em pó
150ml óleo de côco
farinha de arroz para untar a forma
2 colheres chá raspa de limão

Colocar numa taça a courgete ralada e o vinagre com o óleo de côco e o açucar mascavado. Noutra taça peneire a farinha de espelta com o sal e o fermento em pó. Junte o côco ralado. Entretanto, pré aqueça o forno.

De seguida, adicione a raspa do limão juntamente com a canela e mexa devagar com uma vara de arames. Junte o conteúdo da taça da courgete à taça da mistura da farinha e incorpore tudo muito bem. Coloque o bicarbinato de sódio no final e mexa com a vara de arames uns 3 segundos.

Numa forma untada com óleo de côco e farinha de arroz adicione a mistura da massa e deixe cozinhar a 180º durante uns 45 minutos. Quando terminar, desenforme quando arrefecer.

Para a cobertura, num tacho ao lume fazer uma calda de chocolate com 85% de cacau e bebida vegetal de arroz. Espalhar por cima do bolo e decorar com o que mais gostar. Decorei com cajus, amêndoas e nozes.


Bom apetite.

Bolo de Amêndoa com cenoura e côco


Este bolo foi feito com muito amor e carinho, sem adição de açucares processados, sem gorduras e sem ingredientes de origem animal.


Ficou pouco doce mas muito saboroso e um leve sabor aveludado a cenoura e côco que deixou um cheirinho no ar na minha cozinha que só sentindo.


As tâmaras medjool é que lhe dão o sabor doce em substituição dos açucares amarelo ou mascavado, que normalmente são os mais utilizados na confecção de doces e bolos.

Receita:

1 chávena farinha de espelta
1/2 chávena farinha de arroz
150 g tâmaras medjool 
1 chávena amêndoa moída na hora
1 chávena e meia bebida vegetal de amêndoa
1/2 chávena óleo de côco
1 colher sopa de sumo de cenoura
raspa de uma cenoura
1 colher de café de canela em pó
1 colher sopa de fermento em pó
1 colher sopa de vinagre de sidra
1 pitada de sal

Preparação:

Na bimby ou num processador, colocar as farinhas juntamente com as tâmaras e pulverizar durante uns breves segundos. De seguida, juntar esta mistura num recipiente com a amêndoa moída, o sal, a canela e o fermento e mexer muito bem. 

Numa taça, adicionar a bebida vegetal de amêndoa, o óleo de côco, o sumo e a raspa de cenoura. Verter o preparado anterior para o recipiente onde estão as farinhas e bata com uma vara de arames durante um minuto para que todos os ingredientes sejam bem incorporados. 

Unte uma forma, polvilhe com óleo e farinha e verta o preparado por cima. Leve ao forno pré aquecido a 180º durante 40 minutos ou até o palito sair seco. Desenforme o bolo depois de arrefecer.

Para a cobertura, colocar num tacho uma chávena de bebida vegetal de amêndoa e metade de uma tablete de chocolate com 70% de cacau, mexer bem até a mistura ficar com uma consistência cremosa, apagar o lume e verter por cima do bolo. 

Polvilhar com amêndoas picadas ou inteiras. Se pretender adoçar pode acrescentar uma colher de sopa de xarope de ácer ou geleia de milho. 

Bom apetite.