Bolo de banana e canela com noz moscada


Fiz este bolo sem saber como ia ficar tanto de sabor, como de textura bem como de consistência. 

Fazer receitas sem glúten tem muito que se lhe diga, no entanto, já estou com alguns ingredientes em mente para na próxima, poder fazer uma receita semelhante, mas sem glúten com farinhas que sejam acessíveis a todos.

De qualquer maneira, o bolinho ficou bom, saboroso e bem fofinho por dentro. 

Neste bolo utilizei a farinha de millet e os flocos de chocolate com sabor a morango da loja Dona Vegana.

Podem olhar aqui para o lado direito da página e dar uma espreitadela. 


Receita:

140g farinha de espelta integral
70g farinha de millet
70g farinha de arroz
100 g tâmaras medjool
30g açucar de côco
1/2 chávena óleo de côco
1/2 colher sopa essência de baunilha
1/3 bebida de amêndoa
3 bananas bem maduras
1 colher de sopa farinha de linhaça em duas colheres de sopa de água (linhaça triturada na hora)
1 colher de sopa canela em pó
1/2 colher de sopa fermento
1 colher de chá bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
1 pitada de noz moscada


Preparação:

Pré aqueça o forno a 180º e unte uma forma com óleo de côco.
Numa taça, deite a farinha de linhaça com a água, misture um pouco com uma colher e reserve.

Pulverize na bimby durante uns segundos a farinha de espelta com as tâmaras sem o caroço.
Adicione numa taça esta mistura com as restantes farinhas, o açucar de côco, a canela, o fermento mais o bicarbonato e o sal. Reserve.

Com um garfo, esmague as bananas, junte o óleo de côco derretido em banho maria se estiver mais duro, a essência de baunilha e a bebida de amêndoa.

Coloque a linhaça hidratada juntamente com os ingredientes secos e mexa com uma vara de arames até obter uma boa consistência.


Por fim, junte a pitada de noz moscada e mexa apenas para envolver.

Acrescente a mistura na forma previamente untada, asse no forno durante uns 40 minutos e desenforme quando estiver morno.

Para a cobertura, adicione umas colheres de leite de côco adoçado com duas colheres de sopa de xarope de ácer por cima do bolo, juntamente com os flocos de chocolate e umas bagas gogi.

Pataniscas de millet com alho francês e pimento vermelho


E quando se junta millet, alho francês e pimentos o que se faz?!
Fazemos pataniscas, pois está claro...ahahahahah... 

Se existe comida que para mim é chamada de reconfortante é esta...PATANISCA.

Sei que o millet, o único cereal alcalino existente, pode ser um ingrediente estranho para muitos de vocês, mas posso acrescentar que podemos fazer com ele uma série de receitas deliciosas. 

Desde papas para o pequeno almoço, burgueres, bolinhos salgados, pataniscas ou até cozinhar tal como fazemos com o arroz normal.

O millet ou milho painço, tal como é chamado, é um cereal muito versátil, suave e nutritivo. Considerado um dos poucos cereais alcalinos, é uma óptima ajuda para o nosso estômago, digere-se muito facilmente e não contém glúten, o que o torna apto para quem tem problemas digestivos.


Receita:

1 chávena de millet demolhado de véspera
1 tira de pimento vermelho
1 alho francês pequeno
Metade de uma cebola roxa 
1 fio de azeite caseiro
fariha de aveia q.b. com um pouco de bebida vegetal de aveia
1 colher de sopa de fermento
3 colheres de amido de milho para 6 de água (costumo fazer com linhaça mas desta vez fiz assim)
1 colher de chá de curcuma, pimenta preta, paprika
1 pitada de gengibre fresco ralado
1 molho de salsa




Preparação:

Cortar os legumes bem fininhos e reservar.
Num tacho adicionar um fio de azeite e a cebola roxa, deixar alourar uns segundos, juntar o millet e deixar cozinhar até absorver bem a água. Deixar arrefecer completamente.

Numa taça, juntar farinha de aveia, o amido de milho e as especiarias, ralar um pouco de gengibre fresco, mexer muito bem com as mãos até dar liga, adicionar a bebida vegetal de aveia, depois os legumes cortados e mexer mais um pouco. 

Fazer umas bolinhas com as mãos e achatá-las de modo a ficarem como nas imagens. Levar um fio de azeite a uma frigideira, e ir colocando cada patanisca para cozinhar uns 3 minutos de cada lado. 

Quando terminar, deixar arrefecer. Eu prefiro mais mornas ou quase frias. 

Também fiz algumas no forno pré-aquecido a 170º e não se quebraram, basta juntar amido de milho e aveia ou linhaça bem como farinha de grão que une os ingredientes todos. 


Bom apetite.

Bolonhesa de lentilhas com esparguete de quinoa e couve pak choi


E quando dá aquela vontade de comer lentilhas e não conseguimos tirar isso da nossa cabeça temos mesmo de ir para a cozinha e fazer estas meninas lindas. 

Foi o que fiz para o meu almoço e para o meu jantar. Já estou a pensar em fazer uns burgueres se sobrar com um pouco de millet e uns legumes. 

Desta vez, escolhi a couve pak choi para acompanhar que é muito saborosa, cheia de vitaminas e nutrientes benéficos para a nossa saúde.

O esparguete de quinoa comprei no Continente para experimentar mas não vale a pena porque além de ser caro podemos sempre demolhar a quinoa e cozinhar como se faz com o arroz. 

Bem melhor e mais barato com toda a certeza.

E agora a receitinha desta maravilha ❤

Receita:

1 chávena de lentilhas coral ou côr de laranja
1 tira pequena de pimento vermelho
1 tira pequena de pimento amarelo
1/2 chávena de esparguete de quinoa
1 molho de couve pak choi
1 cebola pequena
4 a 5 dentes de alho
1 folha de louro
azeite caseiro q.b.
ervas aromáticas: salsa
especiarias: curcuma, pimentão doce, pimenta preta, alho em pó

Preparação:

Num tacho com água a ferver, juntar o esparguete de quinoa com uma pitada de flor de sal e aguardar que cozinhe na totalidade. Quando terminar adicionar um fio de azeite para não agarrar.

Noutro tacho, refogar um fio de azeite com a cebola e a folha de louro, juntar pimentão doce, curcuma, pimenta preta, alho em pó e um pouco de noz moscada e mexer muito bem. Deixar a cozinhar uns segundos para largar os aromas.

Entretanto, juntar as lentilhas previamente lavadas em água corrente para dentro do tacho, as tiras de pimentos e mexer muito bem para cozinhar uns breves segundos.
Adicionar água quente por cima das lentilhas, um pouco de flor de sal e colocar a tampa. 

Quando reparar que começa a ferver mexer mais um bocado, baixar o lume e desligar quando acabar o cozimento. Salpicar com salsa por cima. Reservar.

Num wok, juntar o fio de azeite caseiro e os dentes de alho sem o veio do meio, quando começar a refogar, saltear a couve pak choi durante uns segundos e está pronta.

Bom apetite.

Muffins de cacau com laranja e aquafaba


No dia dos namorados nada melhor que fazer uns docinhos para adoçar a nossa cara metade.

O dia de São Valentim é um dia como os outros, todos sabemos isso, mas sempre gostei de fazer um bolo ou uma sobremesa para comemorar esta data festiva. 

Lembrei-me de fazer estes muffins com sumo de laranja e cacau que ficam sempre uma delícia e podem fazer de várias maneiras. 

Podem utilizar sumo de laranja, de limão ou de morango, já experimentei desta maneira e ficam sempre muito saborosos.

E agora a receita para adoçar os vossos corações.

Receita:

150 g farinha de espelta branca
80 g farinha de aveia
100 g açucar de côco
50 g côco laminado pulverizado na bimby
2 colheres de sopa de cacau em pó
1 colher de sobremesa de fermento 
1 colher sopa linhaça moída na hora (basta triturar num processador as sementes de linhaça)
90 ml óleo de côco
1 pitada de sal
200 ml de sumo de uma laranja bem doce
raspa de uma laranja

Preparação:

Pré aqueça o forno a 180º. 

Pulverizar as farinhas na bimby juntamente com as tâmaras medjool durante uns segundos. Reservar. 

Adicionar as farinhas peneiradas numa taça e acrescente o óleo, o sumo e a raspa da laranja. Mexa com uma vara de arames até obter uma massa consistente.

Unte com óleo de côco um conjunto de formas pequenas e levar ao forno durante uns 15 a 20 minutos. 

Retire do forno e deixe arrefecer até desenformar.

Aqui fica como fazer a aquafaba para colocar por cima dos muffins depois de arrefecidos.

Descasque de seguida alguns morangos, corte-os em circulos finos e disponha por cima dos muffins. Pode também decorar com pepitas de cacau crú por cima.

Bom apetite.

Bombons de chocolate vegan e côco


Considero o dia de são valentim como todos os outros, no entanto, e porque gosto de datas festivas, também é um dia para preparar algo especial para a nossa cara metade.

Já andava para fazer estes bombons caseiros à imenso tempo, só ainda não tinha surgido o dia ideal para o fazer, visto que aguardava por esta altura.


São muito simples e fáceis de fazer, basta ter estes ingredientes de base que depois é só fazer receitas semelhantes com as escolhas da vossa preferência.

Desejo que tenham um dia dos namorados (todos os dias) pleno de amor, paixão, ternura e carinho ❤ 


A receita segue em baixo:

90 ml de flocos de chocolate com sabor a morango sem açucar 
45 ml óleo de côco 
55g de côco laminado em tiras ( da Villarrica Gourmet Store by JFF)
30 ml açucar de côco
55 ml de leite de côco 

Preparação:

Colocar os flocos de chocolate na bimby e pulverizar até ficar com uma textura do género de farinha. 

De seguida, adicionar o côco laminado e pulverizar um pouco até ficar com uma mistura de côco ralado para se moldar mais facilmente os bombons. 

Numa taça, juntar o óleo de côco, o açucar de côco com o côco laminado e mexer com uma vara de arames até que tudo fique completamente dissolvido. 

Juntar os flocos de chocolate à mistura com o leite de côco e mexer mais um pouco até que o preparado seja facilmente moldável.


Adicionar a mistura em couvetes de gelo em forma de corações e levar ao congelador por uma hora no mínimo. 

Retirar os bombons das couvetes de gelo e servir como preferir.

Tenha cuidado porque estes bombons são feitos à base de óleo de côco e facilmente derretem. 

O meu conselho é comer (se conseguir) apenas alguns e os restantes guardar no frigorífico até servir de novo.

O óleo e o açucar de côco mais os flocos de chocolate com sabor a morango sem adição de açucares estão disponiveis na loja Dona Vegana.

Pão caseiro integral com farinha de quinoa e maca peruana




Quando pensei em fazer um pão caseiro pensava que fosse bem mais complicado do que é na realidade. Pois tenho uma máquina de fazer pão que há muito não era utilizada e que estava esquecida lá num canto da minha cozinha. 

Fiz questão de começar uma série de receitas de pães caseiros em máquina de pão, porque além de me poupar tempo e dinheiro, posso sempre criar receitas únicas, originais e criativas. 

Quis utilizá-la de novo porque cá em casa tanto o meu filho como o meu marido adoram pão. Mas os que costumo comprar nas grandes superfícies, deixam muito a desejar e contêm ingredientes que são tão estranhos que mais vale fazer mesmo em casa. 



Pode parecer difícil e dá a sensação de que fazer pão caseiro dá imenso trabalho, mas não é bem assim. Pois basta termos uma máquina de pão e programar fazê-lo durante a noite. De manhã, quando acordamos fica um cheirinho pela cozinha que até saimos de casa mais bem dispostos e de bem com a vida.

Mas para poder confeccionar um pão à altura pedi ajuda à minha querida Valeria Elena Paioli que conheci num grupo de vegetarianos e veganos no facebook e que tem um blog maravilhoso de pães caseiros http://paesveg.blogspot.pt/ 
Grata desde já minha querida pela tua ajuda e dicas durante este processo.

Fiz alguns ajustes na receita mas as medidas são muito semelhantes bem como a preparação e a utilização da farinha de trigo integral.

A única diferença foi ter acrescentado a farinha de quinoa e a maca peruana que sendo este um superalimento é considerado muito saudável e nutritivo tanto para fazer pães como biscoitos, bolachas ou bolos.

No final, gostei muito do sabor do pão, bem como da sua textura e consistência, no entanto, ainda tenho que fazer algumas alterações para ficar perfeito e para uma próxima vez à minha maneira.




Receita:

200 ml de água ligeiramente morna
1 colher sopa de açucar de côco 
1 colher sopa de farinha de linhaça
4 colheres sopa de farinha de trigo integral
2 colh chá de fermento biológico seco

Na cuba da máquina de pão colocar os ingredientes acima mencionados seleccionando o modo de preparar o pão. Eu coloquei pão médio, que fosse feito de modo rápido de preferência com uma côr média escura e que demorasse cerca de 1h40 a estar pronto. Liguei a máquina, deixei misturar os ingredientes durante uns breves segundos, coloquei em modo de pausa durante 10 minutos para que a massa ficasse com bolhas e aumentasse de volume. E assim fiz.

Quando a massa começou a ficar levedada acrescentei: 
100g de farinha de quinoa
100g de maca peruana
290g de farinha integral
1 colher chá de flor de sal 
1 colher sopa de azeite

Retirei do modo de pausa e coloquei a máquina a funcionar novamente observando a necessidade de acrescentar mais um pouco de água. Usei cerca de 100 ml a mais e fui colocando aos poucos verificando a consistência da massa. 

Se optar por fazer o pão no forno utilize o programa "massa" e coloque num recipiente para acabar o processo de cozimento.

Deixei assar dentro da máquina de pão durante aproximadamente 1h40 minutos. Quando terminou o tempo a máquina desligou-se e retirei o pão. Deixei arrefecer à temperatura ambiente e envolvi com um pano de cozinha. A minha avó costumava fazer isso quando acabava de fazer o pão, dizia que ficava mais fofinho e durava mais tempo

Quando vi que o pão já estava morno cortei em fatias e acompanhei com uma maionese de abacate com pimenta preta, noz moscada, flor de sal e limão. Cortei umas fatias às rodelas de tomate e coloquei por cima com sementes de sésamo.




É de referir que a farinha de quinoa, a maca peruana e o açucar de côco são da loja online Dona Vegana

Basta efectuar uma pesquisa e fazer a encomenda.
Produtos de excelente qualidade/preço. 
Recomendo vivamente.

Receita adaptada do blog da Valeria Elena Paioli

Burguer de feijão vermelho e quinoa com beterraba


Para o jantar, tive mesmo que fazer estes burgueres vegetarianos, pois já andava para voltar a testá-los, já que tenho feito algumas receitas de burguers mas como estes é mesmo extraordinário. Fiquei logo impressionada com a côr, textura e sabor. 

Ainda acompanhei com brotos de alfafa e um salteado de couve coração e espinafres em alho e azeite que ficou uma delícia.

É de facto incrível a semelhança com os hamburgueres de origem animal. 

Por isso costumo dizer, gostarmos de comer determinado alimento tem muito a ver com o aspecto visual. Se o sabor estiver lá todo, bem como as proteínas e os nutrientes está tudo bem. Ficamos com uma refeição bastante nutritiva em termos de saúde. 


Neste caso aconselho a experimentarem este burguer vegetariano, saborear cada segundo em conjuntNeste caso aconselho a experimentarem este burguer vegetariano, saborear cada segundo em conjunto com os temperos que se utiliza e acompanhar com uns legumes ou umas verduras que fica uma pequena maravilha.

Numa dieta mediterrânica onde se consome carne e peixe também se coloca temperos para ganhar determinado sabor, no entanto, e no caso da culinária vegetariana, temos muito mais por onde escolher em todos os aspectos.

Mais ingredientes, mais alimentos, condimentos, temperos variados, para além de que os nossos pratos ficam muito mais bonitos, cheios de côr e com muito mais sabor. o com os temperos que se utiliza e acompanhar com uns legumes ou umas verduras que fica uma pequena maravilha. 


E agora a receita:

1 chávena de feijão vermelho cozido demolhado de véspera com uma tira de alga kombu 
(ir mudando a água de vez em quando)
1 chávena de quinoa cozida demolhada de véspera (podem encomendar na Dona Vegana)
1 beterraba ralada
Farinha de aveia e de arroz q.b.  
1 colher de sopa de levedura de cerveja
1 colher de sopa de polvilho azedo
1 folha de louro
1 cebola
1 pitada de flor de sal
1 pitada de pimenta preta
especiarias: curcuma e pimentão doce

Preparação:

Num tacho, cozer o feijão vermelho em água com  uma pitada de flor de sal e um quadrado de alga kombu. Reservar. 

Num wok, fazer um refogado com azeite e cebola juntar a quinoa e deixar a cozinhar até que a água fique evaporada. Reservar. 

Colocar o feijão e a quinoa na bimby e triturar na vel. 5 durante uns segundos até ficar com uma massa consistente. Ralar a beterraba e juntar ao preparado anterior mexendo com uma colher. 

Adicionar as farinhas aos poucos para dar uma certa liga à mistura, de modo a não ficar com os dedos colados, juntando as especiarias, a levedura, o polvilho e uma pitada de flor de sal.

Mexer mais um pouco até ficar tudo uniforme. 

Moldar os burguers com as mãos ou com moldes para o efeito e levar ao forno préaquecido a 170º durante uns 10 minutos de ambos os lados ou fazê-los numa frigideira ou wok com um fio de azeite. 

Bom apetite.

Bolo de cacau crú côco e laranja


Quando chega o fim de semana gosto de fazer receitas saborosas e doces para mimar a minha família. Daquelas que todos possam apreciar, comer e sem nenhum ingrediente de origem animal. 

Claro que um bolo é sempre um bolo, feito com amor e muito carinho é capaz de adoçar o nosso espírito e a nossa alma, bem como dos que nos rodeiam.

E depois é sempre bom dar a conhecer a familiares e amigos novos sabores, novos ingredientes, novas possibilidades, com texturas e consistências diferentes.



Costumo dizer que nada se estraga e tudo se transforma. 

E se existe coisa  que eu adoro, é ir para a cozinha e inventar, criar e estruturar receitas que sejam simples mas deliciosas.

Este bolo de cacau crú e laranja foi confeccionado com produtos que encomendei a uma loja online que se chama Dona Vegana.



A Dona Vegana é acima de tudo uma loja com produtos biológicos, sem glúten, com muita qualidade, sem ingredientes de origem animal, de comércio justo, para vegetarianos e veganos, mas também para quem queira fazer da sua saúde o seu lema de vida. 

Estou grata à D. Bela Araujo e ao Sr. Jorge Lé que fazem deste seu espaço um convite ao bem estar e à vida saudável.


Receita:

150g de farinha de teff branca
75g de farinha de côco bio
250 ml de bebida vegetal de amêndoas
125 g de açucar de côco bio
1/2 chávena de óleo de côco virgem bio
1 colher de sopa de linhaça
2 colheres de sopa de cacau crú (costumo comprar em lojas da especialidade)
1 pitada de flor de sal
1 colher de sobremesa de fermento
1 colher de café de bicarbonato de sódio
sumo e raspa de uma laranja
morangos e mirtilos para decorar
1/4 de chávena de xarope de ácer para molhar em cima

Cobertura:
frutas com xarope de ácer por cima (escolhi morangos e mirtilos)
ou 
120 ml de bebida de amêndoa 
2 barras de chocolate com 85% de cacau

Preparação:

Pré aquecer o forno a 180º. 

Numa taça juntar as farinhas, o açucar de côco, a linhaça, o cacau e a flor de sal devidamente peneirados.

De seguida, colocar o fermento mais o bicarbonato.

Adicionar ao preparado anterior a bebida de amêndoa com o óleo de côco, o sumo e a raspa da laranja mexendo com uma vara de arames até obter uma boa consistência.

Untar uma forma com circulo no meio e levar ao forno durante uns 20 minutos.

Desenformar quando o bolo estiver morno.

Para a cobertura, junte num tacho a bebida de amêndoa mais as duas barras de chocolate com 85% de cacau e vá mexendo até ficar com uma consistência cremosa.

Pode acrescentar um pouco de xarope de ácer para adoçar ou outro qualquer da sua preferência.

Entretanto, se apreciar pode cortar uns morangos e mirtilos para decorar por cima do bolo com um pouco de xarope de ácer.

Bom apetite. 

Desconto de 5% em compras superiores a 20€ na loja da Ana Villarrica Gourmet Store by JFF


Para poder confeccionar algumas das minhas receitas fui fazer uma visita ao espaço da querida Ana Villarrica da empresa Villarrica Gourmet Store by JFF. Soube da sua empresa num grupo que sigo no facebook e fiquei muito intrigada por conhecer. 

Combinámos o encontro e quando lá cheguei fiquei muito surpreendida, pois encontrei uma loja em Lisboa muito bonita, agradável e bem simpática. A Ana recebeu-me logo com um sorriso rasgado e começámos a falar como se nos conhecêssemos à imenso tempo. 

Dei uma vista de olhos lá por dentro e desde as tâmaras medjool ao côco laminado, às amêndoas tostadas e à castanha de caju, aos amendoins e às sementes de sésamo, é tudo muito fresco, limpo, de elevada qualidade e bem embalado. 


Para quem quiser experimentar os produtos da loja da Ana Villarrica, passa a poder usufruir de um desconto de 5% em compras superiores a 20€. Para que isso possa acontecer, basta fazer a encomenda através do meu blog no facebook.

Muita gratidão à Ana por se ter disponibilizado a fazer este desconto para todos os seguidores da minha página. 

Bolinhas nutritivas com tâmaras medjool, cacau crú, côco laminado e castanha de cajú



Foram precisos apenas quatro ingredientes  para fazer esta deliciosa receita de bolinhas saciantes. 

Quando era pequena, eu e a minha irmã divertiamo-nos muito a fazer brigadeiros na cozinha da nossa mãe, eram momentos bem alegres e mesmo muito divertidos, que deixavam uma sensação de satisfação e de felicidade. 

Na altura, pensávamos apenas que era engraçado e divertido fazer aquela receita, nem tinhamos sequer a consciência da quantidade de ingredientes menos bons que estávamos a ingerir para dentro do nosso organismo.

Assim sendo, para provar que também podemos fazer brigadeiros vegetarianos saborosos, cheios de ingredientes do bem, resolvi pôr mãos à obra e seguir algumas receitas que tinha em mente para poder testar e aprovar. 

Reparei após algumas tentativas, que se juntar tâmaras com frutos secos, como amendoins, amêndoas, nozes, castanha do pará ou cajus, fica uma mistura que faz lembrar o sabor caramelizado do leite condensado mas que é bem mais saudável. 

Porque tanto as tâmaras como os frutos secos, são alimentos que a natureza nos dá e é isso que procuro também transmitir através do blog. 

A comida vegetariana não é apenas comer alfaces, cenouras e tomates, que fazer comida saudável com ingredientes puros é mais fácil do que possamos pensar, que fazer receitas naturais sacia a nossa fome por muito mais tempo, podendo comer com vontade um doce de vez em quando mas sem culpa. 

E agora a deliciosa receita: 


Receita:

18 tâmaras Medjool
8 castanhas de cajú
Uma mão cheia de lascas de côco
1 colher de sopa de cacau crú
4 colheres de sopa de óleo de côco liquido

Preparação:

Num processador ou na bimby, juntar as lascas de côco e triturar até ficar em côco ralado. 
Adicionar depois as tâmaras medjool com o caju e triturar uns breves segundos até ficar uma massa cremosa. 

Colocar o óleo de côco com a colher de sopa de cacau crú e triturar mais um pouco. 

De seguida, moldar bolinhas com as mãos ou em barra e levar ao frigorífico pelo menos meia hora ou até servir.

Podem substituir o caju por amêndoas, amendoins, castanha do pará ou nozes e escolher fazer as bolinhas sem o cacau, apenas com o fruto seco que escolherem. 

Bom apetite

Papas de aveia com banana, framboesas, bagas goji, lascas de côco e castanha de caju


Logo pela manhã nada melhor que reforçar o nosso organismo com um pequeno almoço saudável, equilibrado e nutritivo. 

Fazer papas de aveia não é nada difícil e demora mais ou menos uns 10 minutos. Quem me segue aqui no blog e no facebook costuma perguntar-me se fazer uma refeição com estes ingredientes se torna rápido e fácil.  

Eu respondo que o mais importante é preparar o que  seja possível de véspera e depois no outro dia a seguir é só acrescentar o que falta. 

Para confeccionar esta deliciosa receita é necessário colocar num tacho bebida vegetal ao vosso gosto, eu costumo fazer com bebida de aveia ou de amêndoa, acrescentar um pau de canela e umas rodelas de limão para dar gosto já que não é adicionado qualquer tipo de açucar refinado. 

A canela adoça qualquer receita, o limão dá-lhe um toque cítrico bem saboroso e fica um cheirinho maravilhoso na nossa cozinha. 

Basta depois acrescentar as frutas, os frutos secos e topings que sejam os vossos favoritos. 

Para fazer outro tipo de papas, para um pequeno almoço reforçado, utilizo outros cereais como o millet ou a quinoa. 

O procedimento para fazer receitas com esses cereais é o mesmo que faço com as papas de aveia.  Para variar de vez em quando é óptimo e o nosso organismo agradece a mudança.

Fica um pequeno almoço equilibrado, saboroso e sacia durante mais tempo. 
Em vez da tradicional torrada com manteiga, café ou café com leite, aqui fica uma sugestão bem mais saudável e bonita para experimentar e degustar.

Receita:

100 g de aveia demolhada em água de véspera
180ml de bebida vegetal de amêndoa
1 pau de canela
2 cascas de limão
frutas a gosto (eu junto sempre uma banana e depois escolho mais duas ou três frutas)
xarope de ácer para adoçar
canela para polvilhar

Preparação:

Num tacho, juntar a bebida de amêndoa, o pau de canela e as cascas do limão. Ligar o lume em modo baixo e ir mexendo. 

Quando a bebida vegetal começar a ficar quente adicionar a aveia e mexer mais um pouco até cozinhar completamente. 

Colocar o preparado numa taça ou num prato, deixar arrefecer um pouco e juntar banana cortada em rodelas (esta parte fica ao vosso critério, criatividade e imaginação) framboesas que escolhi para esta receita, bagas gogi e castanhas de caju. 

Acrescentar umas lascas de côco por cima, adoçar com um pouco de xarope de ácer e polvilhar com canela.

Bom apetite.